Make your own free website on Tripod.com

SAÚDE BIAZI

Home

AIDS | Arritimia Cardiaca | Arterioesclerose | Bactérias | Catarata | D.S.T. | DPOC | Diálise e Hemodiálise | Diabétes | Dicas e Sondas | Edema Pulmonar | Faringite | Hipertensão | Higiêne e Camas | Hemofilia | Insuficiência Renal | Juramento | Lúpus | Miocardite | Neutropenia | Podologia | Protozoários | Prontuário do Paciente | Rinite | Saúde no trabalho | Terminologias Epidêmicas | Terminologias
Catarata


Catarata

A catarata afeta 1por cento da população com mais de 50 anos, sendo a maior causa de cegueira nos países em desenvolvimento. O único tratamento disponível é a cirurgia, restrita aos casos em que o paciente tem limitação de atividades pela perda visual.
Somente campanhas de tratamento em massa ( como o projeto catarata, desenvolvido originalmente pela Oftalmologia da Unicamp) e melhor utilização de todos os recursos já existentes (como o modelo de ambulatório ali instalado) podem diminuir significativamente esta alta frequência de cegos por catarata no Brasil . Atendidos primeiramente no SOG <sog.htm>( Serviço de Oftalmologia Geral e Urgência), os portadores de deficiência visual por catarata são encaminhados ao setor de Catarata, que desenvolveu técnicas de facilitação do acesso e tecnologia apropriada . Foram incorporadas as mais avançadas técnicas de extração do cristalino e implante de lente intraocular, modificadas para otimização dos recursos disponíveis.
Os pacientes com indicação cirúrgica são encaminhados para uma reunião de grupo com uma enfermeira especializada que orienta sobre a cirurgia, os exames e cuidados pré e pós operatórios.
Catarata é a opacidade da lente natural do olho, o cristalino, que cursa com borramento da visão, geralmente de maneira progressiva.
Inicia-se com pequena diminuição da visão, que piora gradativamente até causar deficiência visual mais grave. Muitas vezes é confundida com uma pelinha que recobre a córnea e se chama pterígio. A catarata pode ser observada na pupila, ou menina dos olhos, que se torna esbranquiçada. Além de causar diminuição da visão, as pessoas também podem sentir imagem dupla, diminuição da visão das cores, o grau dos óculos mudar frequentemente dificuldade para a leitura e visão pior na rua (claridade do sol) do que dentro dos ambientes.

DESENVOLVIMENTO

A maioria das cataratas avança muito lentamente e por isso muitas pessoas nem percebem até que estejam muito ruins. Pórem pode haver progressão rápida em pessoas que usam cortizona e nos diabéticos principalmente se a opacidade se dá bem no centro do cristalino por onde passa a maior parte da imagem. A catarata geralmente acomete os dois olhos mas pode haver diferença importante do grau de piora da visão entre um olho e outro.

CAUSAS

A catarata é uma doença multifatorial, ou seja, vários fatores contribuem para o seu aparecimento como: herança familiar
doenças gerais (diabetes)
doenças do olho (irites)
trauma ou cirurgias oculares
remédios (cortizona)
exposição solar
dieta alimentar
É uma das doenças degenerativas mais comuns nos idosos podendo atingir mais de 40 por cento das pessoas com mais de 70 anos. Enquanto alguns fatores são bem aceitos como diabetes, inflamações oculares, exposição excessiva ao sol, outras causas, como alterações da dieta alimentar, ainda são motivo de pesquisa.
No Brasil ainda encontram-se muitos casos de catarata desencadeada por uso crônico de colírios à base de cortizona que devem ter seu uso indicado somente pelos oftalmologistas.

EXAME PARA SE DESCOBRIR A CATARATA

oftalmologista pode detectar a catarata ou outras doenças do olho com um aparelho semelhemte a um microscópio. Ele enxerga todas as estruturas internas do olho com aumento de imagem. Nestes exames o médico poderá dizer se trata-se somente de catarata ou se existe alguma doença associada.

TRATAMENTO (definição especifica)

O único tratamento disponível para a catarata é a cirurgia para remoção do cristalino opaco. Como o cristalino é uma lente muito forte deve-se colocar uma outra lente no lugar dentro do olho para evitar que a pessoa seja obrigada a usar óculos de alto grau.
Muitos colírios são utilizados para a catarata mas não há comprovação clínica e científica de seu benefício. Como proteção para evitar ou retardar a piora da catarata pode-se utilizar óculos que tenham filtro contra os raios ultravioleta (óculos escuros ou transparentes).

QUANDO OPERAR

Existem alguns conceitos antigos sobre quando operar a catarata que já não valem mais. Dizia-se que a catarata deveria ser removida quando estivesse "madura", ou seja, totalmente branca. Hoje em dia, com as novas técnicas cirúrgicas não há necessidade desta espera e a cirurgia deverá ser realizada quando a piora da visão for importante para a pessoa. Para alguns isso quer dizer dificuldade para dirigir ou trabalhar, algumas pessoas sentem mais quando não conseguem mais ler como habitualmente e outras quando já tem dificuldade de se locomover para realizar as tarefas de casa (cozinhar, medicar-se).
Mesmo as cataratas muito avançadas, com a visão bem ruim, podem ser operadas com boas chances de recuperação, ao contrário de outras doenças como a retinopatia diabética que devem ter seu tratamento iniciado precocemente.

CIRURGIA E RESULTADOS

As técnicas de cirurgia atuais são muito eficientes e a maioria dos operados (mais de 90 entre 100) tem melhora importante da visão. A cirurgia é muito delicada e realizada com microscópios, retirando-se a lente opacificada e introduzindo-se outra no mesmo local, ou seja , atrás da menina dos olhos. Estas lentes chamadas de cristalino artificial são confeccionadas de material inerte ao organismo, ou seja, não causam problemas para os tecidos e ficam para sempre nos olhos. Algumas vezes, entretanto, podem ocorrer complicações da cirurgia e o resultado final não é satisfatório. Em outros casos a lente não pode ser implantada e haverá necessidade de corrigir o grau com óculos ou lentes de contato.
Existem vários cuidados pré e pós operatórios da cirurgia de catarata que devem ser seguidos para auxiliar o bom andamento da operação. Graças a alta qualidade das técnicas cirúrgicas a cirurgia pode ser realizada de maneira ambulatorial, tanto em hospitais como em clínicas preparadas e a pessoa pode ir para casa quase imediatamente. Em casos especiais pode ser necessário a internação.
Na maioria das vezes a cirurgia é realizada sob anestesia local, com sedação. No entanto algumas pessoas tem dificuldade de colaboração durante a cirurgia ou são portadores de algumas características dos olhos especiais e deverão receber anestesia geral, permanecendo mais tempo internadas.
É bom que se esclareça que a cirurgia não é realizada com raios laser e alguns aparelhos se utilizam da energia do ultrassom. Existe um raio laser que é utilizado para se corrigir uma possível complicação que é o aparecimento de uma membrana atrás das lente intraocular. Esta complicação ocorre em mais de 30 por cento dos operados e pode ser tratada com o yag-laser em poucos minutos sem necessidade de anestesia ou internações

Perguntas mais freqüentes

Quais os sintomas da catarata?

O olho humano possui uma estrutura intra-ocular denominada cristalino. O cristalino está localizado atrás da íris, ele é incolor e quase completamente transparente, medindo cerca de 4 mm de espessura e 9 mm de diâmetro. Sua função é focalizar os raios luminosos sobre a retina. A capacidade que ele tem de mudar seu formato para permitir a focalização de objetos próximos sobre a retina, é denominada acomodação. A partir dos 40 anos, o poder de acomodação do cristalino torna-se gradativamente reduzido. O cristalino pode sofrer alterações como opacificação, distorção, deslocamento ou anormalidades geométricas.

A alteração mais freqüente do cristalino é a sua opacificação, que é o que denominamos de Catarata.

Quais as causas?

A catarata pode ter várias etiologias como traumática, congênita, por uso de medicamentos, inflamatória, entre outras. Porém, a causa mais comum de catarata é aquela relacionada a idade, também denominada catarata senil. Estima-se que mais de 50 por cento das pessoas acima de 55 anos e algumas mais jovens sofrem de catarata.

Qual é o tratamento da catarata?

Não existe tratamento clínico para a catarata, uma vez formada o único tratamento existente é a sua extração cirúrgica. A sua remoção cirúrgica é indicada quando a diminuição visual interfere com as atividades normais do paciente, gerando uma pior qualidade de vida. Uma outra indicação para sua extração é quando a mesma está ocasionando um aumento na pressão intra-ocular do paciente.

Existem atualmente duas técnicas para extração da catarata: a extração extra-capsular do cristalino (EECC) e a facoemulsificação. A EECC é uma técnica ainda muito utilizada, porém ela exige uma grande incisão para a retirada da catarata, levando a um retardo na recuperação da visão nítida. Já a facoemulsificação consiste em uma pequena incisão, que "retira" o cristalino e insere uma lente intra-ocular.

É bom sempre lembrar...

Uma vez removida, a catarata não voltará. No entanto, com o decorrer do tempo, em alguns paciente pode haver uma opacificação daquela cápsula posterior que foi preservada para poder ser implantada a LIO. Nesses casos o problema é geralmente resolvido por meio de um rápido tratamento denominado Yag Laser, que é realizado no próprio consultório.

Cuidados pós-operatório

As Complicações como descolamento de retina, opacificação da córnea, aumento da pressão intra-ocular, inflamação e infecção ocular podem ocorrer, embora pouco freqüentes.
No período de recuperação é muito importante que o paciente siga todas as orientações de seu médico, use adequadamente as medicações prescritas e compareça a todos os retornos marcados, para evitar ou mesmo detectar precocemente qualquer complicação.
As pessoas tem diferentes períodos de recuperação, mas a maioria dos pacientes apresentam uma melhora significativa da visão rapidamente após a cirurgia.
Geralmente o paciente vai necessitar de óculos após a cirurgia, sendo que o mesmo costuma ser prescrito em torno de 4 a 6 semanas de pós-operatório; muitas vezes estes óculos são apenas para a visão de perto (leitura).

Assim como qualquer cirurgia, o principal risco é a infecção.

Perguntas frequentes em oftalmologia geral

Ler com pouca luz prejudica a visão?
Não. Mas pode causar cefaléia.

Ler em um carro ou ônibus em movimento prejudica a visão?
Não. Os olhos reagem muito bem a altas velocidades.

Ler sem óculos prejudica a visão?
Não. Mas o ideal seria usa-los.

Ler ou escrever por muito tempo prejudica a visão?
Não.
Em nenhuma das situações acima a leitura é prejudicial para a visão, no máximo elas podem causar cansaço e dor de cabeça (astenopia).

Qual a idade mínima para consultar um oftalmologista?
Não existe idade mínima.

Qual a idade mínima para usar óculos?
Crianças de qualquer idade podem usar óculos.
Não há porque ter pena de uma criança que usa óculos, mas sim daquelas que necessitam de óculos, mas deixam de desenvolver adequadamente a visão por não usá-los.

O uso prolongado do computador pode danificar os olhos?
Não. Nenhum tipo de dano pode ser causado pela radiação vinda destes aparelhos.

Ver televisão muito de perto pode prejudicar os olhos?
Não (Videogame: também não). Pode cansar ou causar incômodo, mas não dano físico.
Obs.: O hábito de olhar os objetos de perto pode indicar miopia.

Pacientes com doenças oculares como glaucoma ou catarata devem "poupar" a visão?
Não. A presença de qualquer condição crônica não requer limitação do uso dos olhos.

O uso constante do óculos pode determinar o aumento do grau?
O uso do óculos não altera a evolução do grau.
Se a visão melhora com o uso de óculos, o adequado é usá-los regularmente.

A cirurgia de catarata é realizada com LASER?
Nenhuma técnica cirurgica para a catarata, até o momento atual, utiliza LASER. Existem apenas pesquisas para avaliar o uso do laser na cirurgia de catarata.
O que é o cristalino?
O cristalino é uma lente natural do olho. Quando este fica opaco, os raios luminosos que formariam as imagens no fundo de olho ficam desviados (borrados), diminuindo a visão.

Os tipos de catarata são: congênita, juvenil, senil e as relacionadas com doenças sistêmicas, intra-oculares, traumas e substâncias tóxicas.
A catarata pode ser uni ou bilateral, total ou parcial. Pode também receber outros nomes como incipiente, madura, hipermadura (depende da fase) e subcapsular, nuclear ou cortical (dependendo do local mais afetado do cristalino).

Quais os TIPOS DE CATARATA ?
SENIL: é o tipo de catarata mais comum. Ocorre em pessoas idosas (é relacionada a idade), geralmente após os 60 anos.
CÔNGENITA: a criança geralmente já nasce com catarata. Ocorre por doenças da mulher (como a rubéola e a toxoplasmose) durante a gravidez. Frequentemente está acompanhada de outras alterações.
TRAUMÁTICA: ocorre após acidentes com o olho. Geralmente é unilateral; o trauma, mesmo sem perfuração do olho pode provocar a opacificação do cristalino.
DO DIABÉTICO: Inicia-se geralmente em idade mais precoce e com perda visual mais rápida que na senil.
SECUNDÁRIA À MEDICAMENTOS: principalmente o corticóide; quando este é usado por longos períodos.

Consulte sempre um Médico especialista



lampada.gif

A auto medicação sempre trás prejuizo