Make your own free website on Tripod.com

SAÚDE BIAZI

Home

AIDS | Arritimia Cardiaca | Arterioesclerose | Bactérias | Catarata | D.S.T. | DPOC | Diálise e Hemodiálise | Diabétes | Dicas e Sondas | Edema Pulmonar | Faringite | Hipertensão | Higiêne e Camas | Hemofilia | Insuficiência Renal | Juramento | Lúpus | Miocardite | Neutropenia | Podologia | Protozoários | Prontuário do Paciente | Rinite | Saúde no trabalho | Terminologias Epidêmicas | Terminologias
Miocardite

Miocardite
Conceito:
Miocardite é uma doença incomum do coração caracterizada por inflamação. Ocorre destruição do miocárdio , subseqüente conduz freqüentemente a uma cardiomiopatia dilatada. O quadro agudo é não específico a menos que ocorra insuficiência cardíaca congestiva. Embora as causas são numerosas, a associação mais comum está com uma síndrome viral.
Fisiopatologia:
Miocardite é definido como mudanças inflamatórias no músculo do coração e é caracterizado por infiltrado de células mononucleares intersticiais com necrose de miócitos . Não é conhecido se a infiltração é causado por uma invasão direta dos agentes de infecção ou uma resposta imune sistêmica.
Na fase crônica, citotoxinas de linfócitos T, infiltram o miocárdio e medeiam uma resposta auto imune com atividade de anticorpos no miocárdio , dirigida contra a miosina cardíaca. Este processo de auto imune persiste muito tempo depois das partículas virais desaparecerem. Os efeitos danosos da resposta inflamatória são compostos por formação de trombos da artéria coronária, obstrução luminal, isquemia e disritmias.
Freqüência:
No EUA: A verdadeira incidência clinica da doença aparente é desconhecida devido aos muitos casos que não são descobertos na hora da enfermidade aguda. Um estudo grande demonstrou evidência de miocardite em 1.06 por cento de 12747 casos de autópsia.
Mortalidade/Morbidade:
miocardite raramente é fulminante . Miocardite viral esta associado com necrose de miócitos aguda. Não é conhecido se isto é devido a invasão direta ou como seqüela de uma resposta auto imune. Sexo: A relação de homem X mulher para miocardite é 5:1 Idade: A idade comum de pacientes com miocardite é 42.
História clínica
O quadro clínico de miocardite é variável. Pode apresentar como uma enfermidade não específica , caracterizada por fadiga e dispnéia moderada, insuficiência cardíaca congestiva ou morte súbita. A maioria de casos de miocardite é subclínica e o paciente nunca busca atenção médica durante a enfermidade aguda. Uma síndrome viral de antecedente foi documentado em 60% de pacientes. O intervalo de tempo típico entre o início da enfermidade viral e envolvimento cardíaco é de duas semanas. Febre está presente em 20 por cento de casos. Fadiga e Mialgias
Dor de tórax:
É informado desconforto de tórax em 35 por cento de casos. Uma dor pleurítica associada à dor precordial relacionada com a respiração é a apresentação mais comum e pode ser subesternal , típico de dor isquêmica. ( dispnéia em esforço é comum). Se há insuficiência cardíaca congestiva podem ser notadas presente, ortopnéia e brevidade de respiração.
Palpitações são comuns. Síncope sinaliza desenvolvimento de bloqueio AV ou disritmias malignas e pode conduzir a morte súbita em pacientes com miocardite. Pacientes pediátricos (particularmente as crianças) apresentará com sintomas não específicos: Febre , Angústia respiratória , Alimentação, pobre, Cianose .
Físico:
Os pacientes com casos moderados têm um aparecimento não tóxico e podem parecer ter uma síndrome viral simplesmente. Taquipnéia e taquicardia são comuns.
Sinais de deficiência orgânica ventricular:
* Distensão venosa jugular
* Crepitações basais
* Ascite
* Edema periférico
* Cianose
* Hipotensão, devido a deficiência orgânica ventricular esquerda, é incomum na colocação aguda e quando presente é um prognóstico ruim.
* Choque de cardiogênico é visto em casos fulminantes e tem uma mortalidade alta.
* Murmúrios de regurgitação mitral ou tricúspide podem estar presentes .
* Em casos onde uma cardiomiopatia dilatada desenvolveu-se, podem ser achados sinais de tromboembolismo periférico ou pulmonar.
* Pericardite associada podem manifestar atrito pericárdico .
* Efusão pericárdico é comum , mas sinais de tamponamento (por exemplo, hipotensão, distensão venosa jugular e sons cardíacos diminuídos) é raro.
Causas:
* Há numerosas causas de miocardite. A maioria de casos provavelmente é devido a infecção viral , embora há muitas bacterianas, fungos e protozoários.
* Medicamentos, substâncias químicas, toxinas ambientais, terapia de radiação, fatores relacionado a gravidez e numerosas doenças sistêmicas também são associados com o desenvolvimento de miocardite.
* Miocardite viral é sem dúvida é a única etiologia mais comum nos E.U.A. e Europa. O Enterovírus se agrupam com Coxsackie B e podem responder por tantos quanto 50 por cento de casos.
* Recente trabalho por Towbin e o grupo dele demonstrou que dois adenovirus tipo C e serotipos 2 e 5, podem responder pela maioria dos casos virais agudos , e os restante dos casos são miocardites inflamatórios no E.U.A.
* Outros vírus implicados em miocardite incluem gripe, echovirus, herpes simples, varicela, hepatite, Epstein-Barr e citomegalovírus .
* Foi demonstrado que o HIV ataca o miocárdio diretamente. Células T mediam supressão imune , aumentando o risco de paciente com HIV serem infectados e contraírem miocardite.
* A causa mais comum de miocardite e cardiomiopatia na América Central e a América do Sul é a doença de Chagas, causada pelos protozoário, Trypanossoma Cruzi .
Toxoplasmose pode causar miocardite quando um cisto no miocárdio rompe-se com uma resposta inflamatória aguda subseqüente.
Estudos de imagens:
Radiografia de tórax (CXR):
raio x de tórax revela freqüentemente uma silhueta cardíaca normal , mas pericardite ou insuficiência cardíaca congestiva clinicamente observável .
Redistribuição vascular e Efusão pleural; Edema intersticial e alveolar.
Eletrocardiograma (ECG):
achado mais freqüente é um taquicardia sinusal. Elevação de segmento ST. Amplitude de QRS diminuída e desenvolvimento de onda Q transitória é muito sugestivo desta entidade.
Até 20 por cento de pacientes terá uma demora de condução, inclusive Mobitz I, Mobitz II ou bloqueio de coração completo.Reação de encadeamento de polimerização (PCR) identificação de uma infecção de viral de tecido miocárdico, fluido pericárdico ou outro corpo locais fluidos são úteis.
Se uma desordem sistêmica, como LES, é suspeitada, anticorpo antinuclear (a ANA) e outros colágeno devem ser investigados em laboratório de desordem vasculares .
Procedimentos:
Cateterização cardíaca normalmente mostrará vasos coronários normais e anormalidades de movimento de parede , com fração de expulsão diminuída.
Biópsia do endomiocárdio é o procedimento diagnóstico de escolha.
Infiltrado linfocítico extenso , com necrose de miócitos é o achado clássico.
Infelizmente, só 30por cento de pacientes suspeitos de miocardite têm achados de biópsia positivos.
Pericardiocentese deveria ser executado em uma fase aguda , se há sinal clínico de tamponamento cardíaco .
Cuidados no tratamento de emergência
Como muitos casos de miocardite não são clinicamente óbvio, um grau alto de suspeita é requerido para o médico de emergência astuto, identificar a pessoa com miocardite agudo.
Podem ser tratados os pacientes com sintomas moderados e nenhum sinal de fracasso cardíaco ou disritmia. Tratamento padrão inclui a descoberta de disritmia com monitoramento cardíaco ou a colocação de um monitor de Holter e anticoagulação para minorar o risco de complicações de tromboembólicas .

.



,